5 de mar de 2012

Oi minha Rosa da Praia,
Quando te liguei e perguntei se estava bem, mesmo antes de me falar que estava um pouco dódói, eu já sabia. Lembra que com a gente sempre foi assim? Um pressentia sobre o outro. O Incrível que sempre nos perguntamos o porquê terminamos uma relação que parecia ser tão perfeita. E o melhor de tudo que mesmo depois que te deixei no nosso planeta B12, você continuou me apoiando, ficando a par de tudo que se passava em minha vida. E em momentos bons ou ruins você soube dar seu colo.
Aquele seu “again and again” também me recordou quando tudo aconteceu. Aquele encontro na praia. Brincar de pega-pega, te derrubar e te roubar um beijo. Conseguimos até dançar sem música, lembra?
É minha Rosa... Não entendo o coração do ser humano, principalmente o meu. Não posso te dizer que me arrependo do que fiz, não mesmo. Aconteceu tudo até então, porque tinha que acontecer mesmo ué. O que muita gente precisa aprender, é que não se pode pisar e brincar com o coração. Ele é um terreno tão sensível, sujeito a ficar doente se for tocado de forma incorreta e bruta.
Continuei sempre passando no seu espaço (site) e vendo seus novos trabalhos (adesivos) e suas maravilhosas postagens bacanérrimas no blog mais popular e visitado que já vi por aqui. E dane-se o que pensa fulano e ciclano. Eu percorro o mundo, mas é na sua porta que vou bater, porque proposital sempre esqueço minha mochila aí. Você me fala que não se trata da mochila em si, e sim, do meu coração que sempre permanece protegido até meu retorno.
Fique bem minha Rosa da Praia. Cuide do meu coração, ok?
Beijos
Do seu Pequeno Príncipe do Reino.



LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Intense Debate Comments