15 de dez de 2009

Eu juro que não sei por que a amo




Eu não sei por que a amo. Cada vez mais não sei.
Pode ser pelo seu pescoço que se levanta para ganhar altura quando estamos abraçados. Ou será que é pela forma em que dobra as pernas no sofá? Ou quando se contorce em espiral com beijos nas costas? Eu não sei por que a amo. Será que pela sua preguiça, que se enrola em mim de manhãzinha? Ou pela sua disposição de dar a volta por cima? Eu já parei para pensar por que a amo, mas lamento, não sei. Realmente não sei. Talvez seja pelas sobrancelhas que falam antes dos olhos. Ou pelo umbigo que inicia a mão. Ou pelo copo que você balança antes de beber, para convencer a água a partir?
Tantos homens têm um motivo certo para amar, definido como um emprego, e você foi escolher logo um que nada tem a dizer.
Será que é pelo amor aos filhos, excessivo, que sempre me inclui? Ou pela sua vontade de fazer mercado depois do almoço para gastar menos? Será que é pelo modo como canta, o modo como dança, com os braços acenando em linhas sinuosas como fumaça de chá? Será que é pelo toque em meu joelho enquanto dirijo? Pela sua respiração suspensa na penumbra? Ou pelas nossas saídas de madrugada para encontrar sorvete em botecos? Será que me apaixonei pelo seu texto e quis ser seu personagem? Ou pela sua pressa de avisar que chegou, apertando o interfone mesmo com as chaves? Ou quando diz que está com frio no cinema? Ou quando fica muda querendo voltar ou quando fica ruidosa querendo passear? Ou quando pede que eu fique em casa mordendo o lábio de cima? Ou quando me enfrenta com raiva e me diz todas as verdades sem ao menos pedir para sentar? Ou quando sopra os machucados, de quem herdou o costume de soprar machucados mesmo quando não existem? Ou quando fica bêbada e declara que está bêbada para eu me aproveitar? Será que é pelo sua predileção em comprar presentes, sempre dando mais do que recebendo? Ou pela tapeçaria no fundo de suas bolsas, com notas, moedas, chicletes, batons e brincos avulsos? Será que a amo por que me irrita a viver mais? Será que a amo por que não me deixa a sós comigo?
Eu juro que não sei por que a amo. Todo dia você se acorda querendo ouvir, eu pressinto, debruçada em meus ombros à espera do sinal, do cartão, das flores, da segunda aliança que é um par de palavras. Mas não descobri e não finjo. Entenderá que faltam motivos, só que sobram motivos. E dificulta-me pensar que se ama por motivos. Ama-se por insinuações.
Será que é pelo seu medo de sangue? Pela sua infância vesga? Pelos seus joelhos esfolados nos móveis? Pela seus amores frustrados? Pela sua letra arredondada nas vogais? Pela sua insatisfação com as roupas na hora de sair? Pela ânsia em atender o telefone com a esperança de que seja eu a dizer por que a amo?
Eu não sei por que a amo. Não me fale. Quem sabe deixou de amar.
Autor - Fabrício Carpinejar

P.S: Só conheço uma mulher que maquiada é linda, e sem maquiagem também é linda, e quando acorda com aqueles olhinhos inchados parecendo uma japonesinha é linda do mesmo jeito. Você teimava em achar que era bobagem minha....Mas é a verdade, eu te vejo com os olhos do amor, e da razão tambem.

11 comentários:

Principe Encantado disse...

Amigo quem disser que sabe por que ama é mentiroso, ninguém sabe é um sentimento independente de viontade que nasce do coração, a máquina incontrolável.
Abraços forte

Serenissima disse...

Belíssimo!
E como disse o mestre Drummond:

"Eu te amo porque te amo.
Amor é estado de graça
e com amor não se paga.

Amor é dado de graça,
é semeado no vento,
na cachoeira, no eclipse."

Abraço

eu disse...

acredito não ter exlpicação para o amor ..




AMO PORQUE TE AMO
Sem motivo nenhum assim,

amo porque te amo, por amar,
tua presença faz bem prá mim.
Amo sem motivos e por todos eles.
És como sorvete em dia de calor,
lareira acesa quando faz frio.
Blusão macio quando me abraças,
e poço de abandono quando te afastas.
Acordo pela manhã, só para te ver,
durmo com o único objetivo,
de contigo sonhar e te ter,
do jeito que quero, todo meu.
Amo porque te amo,
e tu nem sabes o quanto .
Te quero, porque quero,
desejo tanto e tanto,
teu sorriso, teu abraço,
que quando tenho,
não disfarço, o quanto te quero ter.
Declaro meu amor em brincadeiras,
feito criança sapeca e arteira,
para quem sabe um dia,
tu perceberes como são verdadeiras.
Te quero porque te amo
Te amo porque te quero...
Fátima Pilla Muller
amei seu post,parabéns

Isabel Ruiz, disse...

Você pode até dizer que não sabe por que ama, mas com certeza sabe o que o faz amar mais. Lindo!
Beijos
Bel

Rosana Madjarof disse...

Diego!

Chegueiiiiiiiii... Atrasada como sempre!!!

Mas posso dizer, que mesmo com todo o atraso do mundo, o amor sempre é pontual, pois quando se ama, não se vê somente as qualidades da pessoa amada, mas ama-se os seus defeitos também, e quando aprendemos a amr os defeitos do outro, aí sim, poderemos ter toda a acerteza de que esse amor é verdadeiro, que romperá barreiras, atravessará oceanos e tempestades, pois o amor a tudo vence.

E quando chegarem as rugas, e os cabelos branquearem, o amor permanecerá, e você aprenderá a amar cada ruga, cada fio de cabelo branco, cada gordurinha que não existia, mas que agora é real... Tudo isso é o amor, pois somente o amor não enxerga os defeitos, e tudo é belo e divino diante à grandeza de um amor.

Ame sempre meu amigo, mesmo que platonicamente, isso não importa... O amor que preenche nossos corações é o que nos leva adiante, com fé e perseverança em alcançarmos um outro grande amor.

Te Amo!

Beijos natalinos em seu lindo coração.

Rosana.

Joselito disse...

O amor será sempre lindo .... ou não.

TD1 Foto Presentes disse...

Lindo!! Seus textos trazem inspiração!

Realmente o amor não tem explicação... Ele simplesmente existe e é muito forte.

Vou passar por aqui sempre que precisar de uma inspiração ou de palavras agradáveis.
Parabéns!
Abraços.

concentrado disse...

Um grande artigo. Parabéns. confesso que eu não sei também porque eu amo

Histórias & Estórias disse...

A amor não tem explicação: a gente ama e pronto. Tá feito!

Sissym disse...

"Quero
Quero que todos os dias do ano
todos os dias da vida
de meia em meia hora
de 5 em 5 minutos
me digas: Eu te amo"

C.Drummond de Andrade

Babi disse...

Realmente o amor é uma coisa sem explicação; nunca sabemos se amamos pelos trejeitos ou até mesmo por alguns defeitos; se eu falo pra alguém que o amo e a pessoa me pergunta o por que nunca sei como responder... .
O amor é praticamente indescritível, só se sabe sentindo.
Lindo post como sempre amigo ^^.
;*

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Intense Debate Comments