5 de nov de 2009

Três sombras, três punhais e um cigano




Do outro lado tem alguém (quem será?)
Que não consegue atravessar (porque?)
Três batidas,meu coração e um segredo
Tão difícil de falar (minha alma grita teu nome)
Mas é tão simples também (complicado sentir)
Eu podia ajoelhar (e gritar pros 4 cantos do mundo)
Te chamar com toda a força (pro seu coração ouvir)
Não ia te acordar (você odeia ser acordada)
Não ia ter ninguém (Porque sei que ainda me ama)
Mas eu posso te esperar (por toda eternidade)
Outra noite, outro dia (sempre...)
A chuva nem precisava parar (adoramos fazer amor ouvindo o barulho da chuva)
Três sombras, três punhais e um cigano
E uma cama vazia (a sua espera)
Tuas lembranças, teus sinais e teu silêncio
Não vão me acordar (eu não durmo)
Não ia haver ninguém...Só você!

4 comentários:

S. Levy Lima disse...

muito lindo.
parabéns pela poesia.

abçs

Essência e Palavras disse...

oieee.. adorei aqui.
Tornei-me seguidora

JORNALISMO ANTENADO disse...

Nossa lindo poema diego, adorei... desculpa ainda não estar te seguindo, foi distração mesmo, sei que é meuseguidor no Jornalismo Antenado ( http://jornalismoantenado.blogspot.com )que por sinla está de "roupa nova", não sei se já viu.Aguardo eu contato lá.Beijos

Anderson Simoes disse...

Muito bom este poema merece um link.

Abraço!!!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Intense Debate Comments