12 de mai de 2009

O Dono da História - E o leão se apaixonou pela ovelha

video

"Leão - Não sabe o quanto esperei por você.
Ovelha- A morte é tranquila... Fácil...A vida é mais difícil.
Leão -Eu não vou acabar com sua vida.
Ovelha -Eu sonho em ficar com você pra sempre.
Leão: sempre? Já não basta ter uma vida longa ao meu lado?
Ovelha – Basta...Por enquanto.
Ninguém vai se render esta noite, Mas eu não vou desistir. Eu sei o que eu quero."


Você sempre será a unica e verdadeira protagonista da minha história. Te amo.


Dizem por aí que nós somos 1% consciente e 99% inconsciente, que aquilo que percebemos rapidamente com um pequeno esforço mental está no nosso consciente.
Então é aí que Freud entra na história, porque antes de Jung só existia Freud, e isso só mais adiante.
Freud teve a audácia de provar que nos escondemos de nós mesmos, que o nosso EU não consegue suportar algumas coisas sobre si mesmo e então para se auto-proteger do que considera impróprio à sobrevivência encontra meios de pelo menos driblar, ou como ele diz, reconfigurar a realidade, evitando uma relação direta entre causa(o que é) e efeito(o que e gostaria que fosse), numa intricada e complicada rede de mentiras/verdades que constroem a nossa percepção e reação ao mundo.
A relação de Bella e Edward é mais do que se pode ver rapidamente, como é dito pela própria mãe de Bella no livro Eclipse, é um amor estranho diferente… mas diferente como?…. Incondicional!
É isso que me chama a atenção no filme e no livro, porque eles falam de um amor incondicional. E não é isso que no fundo no fundo nós queremos? Alguém que nos ame simplesmente porque existimos. Sem nada em troca. Sem interesses outros.
Numa sociedade tão cheia de trocas de favores, onde usamos uns aos outros em benefício próprio como não se encantar com um amor assim.
Mas somos adultos! Protestamos e esse é um filme para adolescentes por isso não me chama a atenção. Eu ousaria outra interpretação.
Nós adultos nos acostumamos com o mundo como ele se apresenta para nós. Aprendemos com o tempo e a experiência que pedras atiradas para cima SEMPRE caem. Que o sol nascerá amanhã. Que cachorro não fala. Que pessoas não amam sem um motivo.
E uma das coisas que temos dentro de nós, de todos nós, como ressalta Jung com a Inteligência Coletiva, é o desejo de sermos amados Incondicionalmente, ele está lá latente, quero sair, se expressar, só esperando a primeira oportunidade de mostrar quem no fundo nós somos e quando vemos um amor assim, paramos e nos sentimos atraídos.
Porém uma das coisas que o filme Crepúsculo também mostra é que esse amor não pode ser concedido por alguém da nossa própria espécie, mas alguém diferente, acima, transformado.
É isso que está gravado no fundo do nosso ser por mais que tentemos abafar e substituir. Fomos criados para ser amados e desejamos ardentemente esse amor. Mas não nos permitimos confessar isso nem pra nós mesmos, quanto mais para os outros!
Mas deixe eu lhe dizer uma coisa: Ele é mais real do que você imagina.

Autora: Denise Alves.

Um comentário:

Wanderley Elian Lima disse...

OLá Mr. JOnes, passei para ver as novidades e lhe deixar um abraço.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Intense Debate Comments