17 de mar de 2010

O que fica vivo no coração ninguém consegue mandar


Por e-mail me passaram um link que abordava sobre o amor do passado.
Tem sentimentos que não dão para serem esquecidos. Coisas que ficam na memória afetiva, que dilatam o coração e fazem com que pulse forte. O corpo revira na cama pedindo ajuda, os olhos de lágrimas escorrem sua dor. Um amor do passado que gravou sua história para sempre. Surtiu o efeito devastador na vida, pois parecia ser maior que tudo. Mesmo cambaleando, ele sempre retornava ao seu lugar. Amor tatuado. Lacrado. E, mesmo assim, escapou.
Há quem jure não mais pensar em um amor que se foi. Pode até ser, mas então não foi amor. Quem amou se doou, sentiu arrepios na alma de saudade. Amor do passado deixa registro no coração. É lá que se guardam os melhores sentimentos. Não falo aqui de coração ferido, magoado, cheinho de mágoas. Mas do que foi acariciado por outro repleto das delícias do afeto verdadeiro. Saudade de alguém dizendo "te amo", " mulher de minha vida", "linda" e outros mimos gostosos de escutar. Isso é coisa que não se esquece. Passam-se os anos e martelam as lembranças.
‘É imperdoável que pessoas que se amem tanto digam não à felicidade. Que os seus rostos se virem contra as verdades das emoções plantadas em seus seres
Amor novo é diferente: explode os dias, aquece a carne. Tem adrenalina. Provoca. Amor do passado tem sabor de nostalgia. Escreveu história. Ilustrou a vida. Inspira e faz delirar a mente. Só de lembrar aquele beijo gostoso o corpo se contrai todo. A cama quentinha treme, de tanto que se fez amor. Sentimento forte assim é para sempre. Registra a alma e deixa o perfume sem igual no espírito.
Quem ama de verdade não esquece jamais algo assim - risadas soltas, liberdade no abraço. Superações constantes. Idas e voltas. Lágrimas de tristeza ou de alegria. No duelo do amor estão envolvidas grandes emoções. Paixões. Perdão. Até o abraço da reconciliação. Um amor do passado é história de vida… sai por aí mostrando a beleza em ter sido realidade. É a vontade danada de contar detalhes, dizer o quanto se foi feliz.
Mas quando ficou mal resolvido, é mais triste do que muita coisa na vida. O corpo perde as forças. A motivação desfalece. A esperança reprime. Conheci duas pessoas que se amaram demais e preferiram se separar. Não tiveram forças em superar os medos. Era uma angústia danada dia e noite. Viviam transtornados sonhando um com o outro. Suas vidas ficaram vazias. Lembranças sobre lembranças tentavam sobreviver a cada manhã. Passaram-se anos.
Certa vez, foram a uma mesma festa. A noite estava linda, os jardins pareciam ornados de rara beleza. O céu vaidoso se encheu de estrelas. Os dois tinham ido sozinhos, por incrível que pareça, ainda não tinham parceiros.
Como se os tempos deles tivessem marcado um encontro, se dirigiram à beira do lago. Cada um na ponta do espelho de água de longe se avistaram. Não fazia frio, mas congelaram. Plantados nos chão, não conseguiam sair do lugar. Choraram. Seus corações explodiram. O passado revisitou suas peles e arrepiou a carne. Os beijos que foram trocados naquela época tão boa revigoraram e saíram dos baús empoeirados. O tremor invadiu suas mentes. Podiam sentir o toque leve e firme do outro.
Sentimentos explosivos se deram, mas era tarde demais. Um amor do passado tão profundo que não foi cuidado. Que sequer teve a oportunidade de se refazer. Lutar. Superar. A sensação do encontro foi forte demais e devagar se afastaram do tal lago. O medo de remexer no amor antigo, de sofrer a rejeição, provocou estranheza e profunda tristeza. Dali mesmo foram para casa sonhar com o que viveram. Mais uma vez disseram não para um sentimento ainda vivo dentro de suas almas. Mais uma oportunidade se foi.
É imperdoável que pessoas que se amem tanto digam não à felicidade. Que os seus rostos se virem contra as verdades das emoções plantadas em seus seres. Preferir partir com o vazio imenso preso nas costas. A bagagem pesada da desilusão.
Um amor do passado poderia ser recuperado se duas pessoas quisessem se redimir. Resolver as pendências, pelo menos se entenderem e, aí sim, darem um basta a tantas dúvidas. Mas a opção pela complexidade é cruel - característica das escolhas do ser humano. O amor é simples, só quer florescer.
Se você é uma dessas pessoas que prefere não resolver um amor, cuidado! O que fica vivo no coração ninguém consegue mandar. Mas se prefere a dúvida, o que fazer? Tomara que anos depois, quando se encontrarem à beira de um lago, consigam ver rostos de verdade refletidos… e não faces tristes repletas de solidão.
Recado: O coração é o lugar mais íntimo do ser. Nele se guardam os mistérios da vida. Cuide dele! Acenda uma luz e veja se ali está algo que precisa ser resolvido. Pendências fazem sofrer e, de sã consciência, quem quer continuar na dor?

12 comentários:

Fernandez disse...

Olá amigo Diego!
Texto lindíssimo! Concordo plenamente que é uma atitude muito triste e imperdoável que duas pessoas que se amem digam não à felicidade. Talvez por medo de se expor, de expor seus sentimentos ou mesmo de ser rejeitado.
Porém a vida é feita de amores, coisas boas e desilusões. Mas é melhor sofrer ao ser amado do que sofrer por pensar em como poderia ter sido.
Achei muito bonita a consideração final e espero que todo mundo sempre se arrisque (sem medos e temores) para poder, ao final da história, ver refletido neste lindo lago um belo casal sorrindo.
Adorei o texto meu amigo. Como sempre trás muita ternura na escrita e lindos pensamentos.
Forte abraço,
Fernandez.

Valéria Braz disse...

Nossa meu amigo, estou completamente sem fala.... seu post é lindo.
Amores do passado...
Amores não resolvidos...
Amores que deixam o coração quente de saudade!
Sabe, acredito que o amor é nossa mais linda lição de vida, porque temos amores lindos, cruéis, difíceis, fáceis.... e todos tem um sabor e um odor diferente... são sons e toques diferentes, mas sejam como forem conta uma história, a nossa história!
Eu particularmente do passado só guardo alegrias dos amores que tive, porque mesmo o mais complexo me deixa um gostinho de saudade....
Parabéns.... lindo post e abordado com maestria.
Beijo no coração

Josy Nunes disse...

Oi,
Diego,
amigo,concordo com o texto temos mesmo que resolver nossas pendências emocionais ou não. viver na dúvida é um Ôh!E ninguém merece...
Beijão no seu coração e fica com Deus

bypoesia disse...

Nossa que texto maravilhoso, muito lindo adorei valeu a partilha

Abraços

Márcio Ferreira

Crista disse...

Belíssimo...tanto,que eu tomei a liberdade de postar em meu blog!
Com os devidos créditos!
Beijos,Mr.Jones.

deste-mundo-e-de-outros disse...

Olá Diego,

Que texto lindo! Gostei muito.
Para mim os amores passados são apenas fragmentos de vida que ficaram na minha memória, sem amargura. Apenas deixam no coração uma saudade boa! :)

Beijos
Luísa

Sérgio disse...

É o padadoxo entre a simplicidade do amor e a complexidade das vontades humanas.
Lindo texto!!!

Um forte abraço!

Weslley Almeida disse...

Cara, que texto...
Fala muito ao meu momento.
Essas coisas do coração é uma eterna aprendizagem. Dá uma segunda, ou tantas chances a um grande amor é uma atitude inpugnável.
Parabéns pela postagem!

Madresgate disse...

Ola Diego

Pelo texto apresentado, pouco restou a ser comentado.
Amor, que palavra difícil de entender, de guardar, de relembrar.
Sabemos que amar é viver um conjunto de sentimentos que jamais serão esquecidos e abandonados.
Dizer não, é simplesmente deixar de lado o que realmete valeu a pena ter vivído, pode até ter motivo, mas será que valeu a pena deixar de lado.
A felicidade é o mais puto sinal de que Amar de fato valeu viver, mas se não pudermos entender e acreditar ela acaba por virar saudade.
É bem verdade e voce apresenta muito bem em seu texto que o verdadeiro amor esta guardado ao infinito em nosso coração e alé permanecerá ditando as regras, da saudade, da paixão, da vontade e da verdade.
Mas nem tudo é perfeito, e, assim as vezes mesmo amando a felicidade de nossas vida acaba escapando.
Parabens
Um forte abraço
Mad

SolBarreto disse...

Foi exatamente por este post que acabei chegando aqui...
Bom o fato e que gostei, agora tem mais uma seguidora rssr

Lilian disse...

Olá querido amigo Dieguito,

Texto belíssimo! Penso que quando duas pessoas que se amam dizem não à felicidade, é porque algo rompeu do amor completo, de doação um ao outro e que não tem como querer fazer voltar ao ponto inicial. Nunca será a mesma coisa, não mais será um amor louco e irrestrito.
Por isso o nome já diz: amor do passado. Mas isso não quer dizer que a separação seja de tal forma que não se guarde nada um do outro. Enquanto amantes, o amor foi verdadeiro e tal como existiu, uma parte ficará guardada no coração, não como um amor para sofrer, mas como uma foto para guardar na memória os bons momentos que passaram.

Adorei o texto, querido Dieguito.
Beijos.
Carinhoso e fraterno abraço,
Lilian

oticas sp disse...

Concordo plenamente com o título do post ! Você pode querer e tentar de todas as maneiras afastar alguém da sua vida, e ter consciência de que isso é o melhor pra ti, mas se o seu coração não quer afastar a pessoa, não adianta você tentar ! Não vai conseguir =) Nem em um milhão de anos -*

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Intense Debate Comments