2 de nov de 2009

O que não aconteceu



Conheceram-se numa tarde de outubro. Olharam-se, gostaram-se, apaixoram-se. Ela o tinha como um ser perfeito, ele a tinha como um ser divino - divinos olhos, divinos lábios, divina pele, divino cheiro, divino gosto... E Eram deliciosas as horas que passavam conversando, tão deliciosas quanto as horas quando o silêncio e os olhares faziam-se suficientes para que se entendessem inteiramente. Juntos planejaram, contruíram sonhos, arquitetaram um futuro com lençóis e cortinas brancas numa casa à beira da praia e mais uma dúzia de filhos.

O tempo passou e um dia ela percebeu que não, ele não era perfeito. Ela desejava a perfeição! O tempo passou e um dia ele começou a ter dúvidas sobre a Divindade. Juntos desplanejaram, descontruíram os sonhos, esqueceram dos lençóis e das cortinas brancas na casa à beira da praia, resolveram deixar que aquela dúzia de crianças tivesse outro pai e outra mãe.

Agora, é triste ver quando encontram-se, comprimentam-se apenas com um seco e distante aceno com as mãos.

fonte: By ETC...

Adaptação by Mr.Jones

2 comentários:

Renata Fagundes disse...

Deveria ser proibido desconstruir sonhos..fingir que se esqueceu e manter uma falsa polidez.
É melhor uma briga feia do que a superioridade da indiferença..
Parece que estamos no mesmo barco "de idéias" hoje Mr. Jones...hehe

Bjo grande
tenha um dia de paz

Dri Viaro disse...

Não é fácil desconstruir sonhos, esquecer de tudo que se havia planejado, é triste, mas a vida é assim, feita de encontros e desencontros ne?
bjs

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Intense Debate Comments