18 de fev de 2009

Sem Título






“No fim tu hás de ver que as coisas mais leves são as únicas que o vento não conseguiu levar , um estribilho antigo , um carinho no momento preciso, o folhear de um livro de poemas, o cheiro que tinha um dia o próprio vento”…(Mário de Andrade)




(LANTERNA DOS AFOGADOS - PARALAMAS DO SUCESSO)


Quando tá escuro


E ninguém te ouve


Quando chega a noite


E você pode chorar




Há uma luz no túnel Dos desesperados


Há um cais de porto Pra quem precisa chegar


Eu estou na lanterna dos afogados Eu estou te esperando


Vê se não vai demorar


Uma noite longa Pra uma vida curta Mas já não me importa


Basta poder te ajudar E são tantas marcas Que já fazem parte


Do que eu sou agora Mais ainda sei me virar


Eu tô na lanterna dos afogados Eu tô te esperando


Vê se não vai demorar.

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Intense Debate Comments