22 de jan de 2012

As escolhas que eu fiz e assumi - Ramen e seu universo


Esse é o meu jeito. Nesse sábado quis ficar apenas na minha caverna verdejante com a minha prole. Motivo? Perdemos nosso baby, e o Pêpe (Pedrinho) voltou para meus sonhos aguardando a sua vinda para a minha vida. Ok, eu concordo quando diz que filho é um elo que une o casal (sejam casados ou não) a vida toda.
Quem é leitor assíduo desse reino, deve lembrar algumas postagens que eu cito que quero ter seis filhos. Devido ter família pequena, sinto vontade de ter a casa sempre cheia com muito barulho e conversa.

Sábado logo cedo amigos ligam dizendo que já estavam chegando à minha casa. Decidiram fazer um churras e distrair a patota. Conversamos, cantamos no videokê, contamos piadas, e falamos da vida não só nossa como alheia também (ahahahah). Até aí estava tudo ok, só implica quando o assunto sou “eu”. Sempre os mais velhos da turma vêm com aquela mesma ladainha parecendo missa decorada. E falam que a vida é assim mesmo, sofremos, mas depois tudo passa. Daí, a prima da minha amiga vem falando que sou muito novo e que ainda não sei nada sobre o amor. Pense numa coisa que me tira do sério essa coisa aí de fazer referencias as minhas escolhas e situações relacionadas à infantilidade, ou acham que sou menor idade. Estava sem vontade de discutir amor + dor = maturidade. Só olhei com cara de paisagem e continuei quieto. Porem, como meu silêncio parece incomodar, eles esperam sempre minha reação e ao que vou falar.

Porque dizem que só os mais velhos entendem do amor? Amor não tem idade, e nem manual de instrução com rótulo informando que só os mais experientes sabem manuseá-lo. Assisti um meio chato chamado “A Menina do Ramen" no qual a falecida atriz Britany Murphy trabalha num restaurante de ramen em Tóquio. Acho que o amor é como o chef japonês explica ao preparar a tigela do ramen. "Uma tigela de ramen é um universo contido, com vida do mar, da montanha e da terra, tudo existindo em perfeita harmonia. O que os une é o caldo. O caldo dá vida ao ramen”.
Eu não tenho problema, eu sou feliz, e quem sabe, como diz a Sansara; todos meus romances que pareciam ser para eternidade, vieram até a mim de alguma forma. Ela acha que eu devo ir atrás. Sinceramente não estou querendo ir atrás nem da minha sombra, que dirá sei lá de quem. Meu momento agora é refletir, e gente demais falando e seus pitacos não ajudariam lá muita coisa não. Sem contar que, surgiram até apoio, ombro, e colo. E já sabia que poderia partir pro mais além. Eis um dos principais motivos que prefiro o meu universo numa caverna verdejante. Eu sei que vai passar, eu já estou bem melhor hoje

Para quem não sabe o que é um ramen:

É um alimento japonês de origem chinesa composto por filamentos longos de massa alimentícia com ervas e legumes, mergulhados num caldo e temperados com carne de porco ou peixe de água-doce. (fonte Wikipédia)


P.S : É muito fácil ir atrás do amor, e da pessoa certa, afinal, isso cessaria sua busca e entrar em contato é sempre muito difícil. (Eu ainda acolho as buscas impossíveis).


P.S(2): Nunca provei esse ramen, espero experimentar ao lado dela...Seja ela quem for....


LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Intense Debate Comments