2 de ago de 2010

O cúmulo da insegurança


Ontem conversei um pouco com meus amigos, e o Sérgio me contou a ultima novidade que se relacionava com a atual namorada do filho dele. Ele fez uma comparação nos tempos que fazíamos faculdade que eu namorei uma mulher que era o poço de insegurança. E olha que nem motivos ela tinha pra tanto. Ela era linda e realizada profissionalmente, pois já era uma empresária.
Ele lembrou quando soube que ela me prendia em casa. É isso mesmo! A mulher me trancava. Primeira desculpa era que esqueceu e levou as chaves. Mas era estranho que, eu acordava e queria sair e não conseguia, ligava pra recepção do prédio e o cara me dizia que não tinha ordens dela para me entregar a chave extra. Ok, fiquei esperando a mulher chegar, e vinha com desculpa que saiu atrasada, esquecia de fechar deixando as chaves e pulava em cima de mim e me puxava pra cama. Quando ela fez na segunda vez, foi em uma casa de praia. Aí eu escapuli e fui pegar onda. E tudo isso eu sei que começou quando uma amiga dela deu em cima e ela marcou e ficou verde de ciúmes, e nessa historia tinha sobrado pra mim. Ela fazia isso para que nenhuma mulher chegasse perto, e que eu não recebesse nenhum amigo sem ela está por perto. E o Sérgio lembra bem do fato, porque passei 3 meses tendo pouco contato com os amigos e principalmente amigas. Porque ela pegava meu “ celular”. E lia as mensagens que me mandavam.

Quando começamos a namorar, ela começou com pequenas coisas  tipo: ela não gostava que eu fosse sozinho para certos lugares a noite, até aí tudo bem, e eu achava normal, então saíamos sempre juntos. Mas depois,  ela passou a me proibir de tudo ou quase tudo, ela não deixava eu jogar volei com meus amigos, não deixava eu ir a praia quando ela não podia ir, não deixava eu fazer nada, nada mesmo. E eu acabei deixando de fazer tudo que eu gostava pra agradar ela. Quando íamos juntos a uma festa e o garçom me perguntasse  o que eu queria, ela nem deixava eu falar ela se metia e falava : "Não! Ele vai tomar refrigerante”.

A mulher me sufocava demais. Admito que já tive outras exs namoradas ciumentas, mas essa ganhava de todas. Desde a última vez que nos vimos, não tivemos mais contato e nem nos esbarramos por aí pelas esquinas da vida. Nossa despedida não foi lá essas coisas de docinho e lovezinho. Motivos fortes eu tive para eu me arrancar da vida dela. Na época eu tinha que escolher entre os amigos, diversão, festas e principalmente conversar com amigas...Ou teria que viver preso como ela queria (caseiro), sem bate papo com amigas, sem sair com amigos...E aí de mim se ela soubesse ou me encontrasse falando com alguma mulher na rua. Seria motivo para inicio de uma guerra mundial. Isso é que dá namorar uma leonina. Ahahahah

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Intense Debate Comments