9 de ago de 2010

Não posso me dividir entre você e mil mares.



A noite de ontem estava fria e convidativa para um passeio casual. O dia foi agitado com almoço do dia dos pais e muita emoção. A noite chegou e olhei de novo (pela milésima vez o celular) ela não ligou, nem mensagem enviou me desejando “um feliz dia dos pais”. O que mais esperar de alguém que nem se quer me deu parabéns no dia do meu aniversário? Fui ler umas postagens, responder os comentários e conversei um pouco com amigos no MSN. Minha inquietação não me deixava nem se quer focar em algo para distração. Resolvi me agasalhar e saí.

Fui até uma cabana que eu considero minha caverna verdejante. Fazia um tempinho que eu não passava por lá. É mais afastada da área de trabalho da fazenda. Até certa distância percorri de carro, depois andei o restante do trecho até chegar a cabana. Ela continua do mesmo jeito, a minha cara, algo rústico com mistério. Ainda não tinha aberto a porta, preferi sentar na varanda e ficar olhando o horizonte. Ouvi um barulho, parecia passos. Uma mulher ia passando, e me deu boa noite, e falou que tinha ido parar por ali porque começou a caminhar pensando na vida e perdeu a trilha que se encontrava. Ela quis saber se a cabana era minha, e eu afirmei. Convidei a tal mulher para sentar na varanda, e ela aceitou. Perguntei onde ela mora. Mas ela apenas disse que se encontrava hospedada na casa de uns amigos. Estava de férias do trabalho.



Começamos a conversa falando sobre o local e os nativos. Depois que rimos com alguns assuntos bobos, eu perguntei o porquê ela não me perguntava nada, como o meu nome, ou o que fazia da vida. Ela disse que estava bom assim, e que em outra oportunidade ela contaria.
Eu:  Você estava pensando no que quando se perdeu da sua trilha?
Ela: Em coisas que só deixam a pessoa de baixo astral.
Eu: Não posso saber?
Ela: Prefiro a nossa conversa que está ótima.
Eu: Você está bem?
Ela: Você pergunta demais, sabia?
Nossa, quando ela falou isso, eu me vi nela. Sim, porque isso de ficar perguntando era algo que todas as minhas exs faziam com que parecesse um questionário humano. Eu achei curioso e engraçado ao mesmo tempo.

Não perguntei mais nada, nem se quer o nome dela, já que ela mesma não me dizia. Já passava das 2 horas da madrugada. Ela disse que precisava ir. Eu quis acompanhá-la até em casa, mas ela não me permitiu, apenas andamos um pequeno trecho. Na hora da despedida eu perguntei se íamos nos ver de novo. Ela foi andando e virou pra trás e me respondeu que sim. Eu fiquei vendo aquela mulher se distanciando. Daí ela se vira de novo e grita – Ei, moço da cabana! No mesmo horário, na sua cabana, ok?
Eu sorri, e tentei gravar na mente para que lado ela estava indo. Eu precisava de algo que ligasse a situação. Daí, olhei para o céu. E vi que ela estava indo em direção ao norte. Para quem conhece as constelações, vi que era a constelação de Cassiopéia, é aquela que aponta para o norte, e através dela encontra-se a estrela polar. Agora aquela mulher tem um nome pra mim...Cassiopéia, a estrela polar.
Obs: A constelação de Cassiopeia é uma das mais fáceis de identificar nos céus pois as suas estrelas mais brilhantes formam um W muito difícil de ignorar. Popularmente conhecidas como "a dama da cadeira"

A lenda da Cassiopeia é a de uma rainha cuja beleza não lhe diminuía a arrogância tendo afirmado ser mais bela que todas as ninfas do Oceano. 

P.S: hoje vou estar lá na cabana, esperando a Cassiopéia, a estrela polar. Espero que ela não me dê furo. ahahahah


LETRA DA MÚSICA



Entre Você e Mil Mares

Já não tenho medo de você
Toda minha vida era você
Vivo da sua respiração que permanece aqui
Que eu consumo dia após dia
Não posso me dividir entre você e mil mares
Não posso agora estar quieta e te esperar



Eu, que estaria com você
Em qualquer cidade distante
Sozinha, por instinto sabendo te amar
Sozinha, e sempre perto de você
Não posso me dividir entre você e mil mares
Não posso agora estar cansada de te esperar



Não, minha vida, não
Não aguento, amor
Ou volte ou fique aqui
Eu já não vivo, não sonho
Tenho medo, me ajuda
Minha vida, não acredito mais em você
Você vai embora só que
Me jura que é a última vez
É melhor se eu não acreditar?



Procuro em cada estrela seu reflexo
Mas tudo isto não me basta, agora estou irredutível



Não, minha vida, não
Não há volta, amor
Ou volte ou fique aqui
Eu já não vivo, não sonho
Tenho medo, me ajuda
Minha vida, não acredito mais em você
Você vai embora só que
Me jura que é a última vez
É melhor se eu não acreditar?



Não posso me dividir entre você e mil mares
Não posso agora estar quieta e te esperar...

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Intense Debate Comments