21 de ago de 2010

As aventuras de um pai solteiro sem noção. Porém, feliz!

SUGESTÃO: OUVIR A MÚSICA DURANTE A LEITURA.

Ser pai mesmo é as vezes dá uma insano.
Ontem a noite a mesa estava pronta para o jantar. Chamei as duas princesas da casa para jantar. Elas me respondem que estavam com a barriguinha cheia (lanchinhos antes) e que não queriam jantar. Eu falei que também tinha feito lanche há um tempinho atrás, mas ia jantar assim mesmo.

Me vi sozinho em uma enorme mesa. E comecei a pensar: - Porque não me casei logo? E poderia ao menos ter feito mais uns dois filhos. (apesar de que a minha estrela vive dizendo que eu tenho cara de pai só de meninas. Ahahahah). Peguei uma bandeja e fui até onde elas estavam. Assim que cheguei, a mais velha diz:
- Pai, aqui não é lugar de jantar.
- Eu sei filha que o lugar é na sala de jantar. Mas estava sozinho lá, daí quis a companhia de vocês.
Mesmo assim, elas continuaram brincando. Daí eu pensei em algo.
- Não vão mesmo jantar comigo? Pois então vou chamar meus amiguinhos de infância (meus dois amigos imaginários) o capitão Jonas e o David. E saí chamando eles. Elas me seguiram. Coloquei mais dois pratos na mesa...
- Fiquem a vontade viu amiguinhos?
Assim que eu me sentei, elas falaram que queriam jantar também.
- Capitão Jonas?! Vai repetir de novo? Tava com fome hein? (eu falando olhando pra cadeira vazia)
A Caçula começou a rir e entrou na onda...
- Pai, o David disse que a panqueca ta uma delicia!
- Ah é? Percebi isso também.

E assim o jantar foi gratificante...Jantamos juntos. Olhei a mesa e o jeito que elas ficavam sorrindo e felizes por estarem participando das loucuras desse pai. Só que na minha mente veio lembranças deliciosas, quando de repente a mesa mudou, eu vi duas cadeirinhas de bebes cada uma ao meu lado e duas bebezinhas que ficavam fazendo bagunça com a comidinha, e eu dando na boquinha das duas e ao mesmo tempo jantando. E quando a maior fez 3 aninhos, já não dava mais pra usar a cadeirinha de bebe pra refeição. Daí, minha mãe comprou um mesa e cadeirinhas lindas para as duas ficarem a vontade para comer. Só que eu sentia falta delas na mesa, e acabava eu indo pra mesinha delas, ficava sentado no chão e elas achavam o maior barato. Teve uma vez que puxei até minha mãe pra jantar com a gente na mesinha, foi divertido demais. Lembranças que deixaram os meus olhos marejados.

Voltando a realidade, também pensei que, elas vão crescer, vão se tornar adolescentes, e vai ser mais complicado mantê-las por perto nas horas das refeições. Mesmo que eu esteja casado, vou querer a mesa com todos os membros da família. (Pensando seriamente em fazer mais filhos por aí, ahahahha). Mesmo que eu tenha que chamar as amiguinhas delas pra jantar, almoçar e lanchar. Jamais vou me importar com isso. O que eu quero é a família reunida para conversar, descontrair e jantarmos felizes.

P.S: Será isso a crise dos 20? Quem me conhece, deve estar pensando que estou doente. Quem era o Diego antes nos tempos que nem se quer imaginava o que era trocar fralda de neném? Eu saia pra comprar o almoço e voltava com a janta. Não me importava onde e que horas era pra comer.

P.S: (2) Quero momento de lanche com a família toda perto me vendo preparar fornadas de esfihas. Quero almoço de domingo, com crianças correndo ao redor da mesa, cachorro latindo pedindo atenção e pudim de leite pra sobremesa. Aqui mora uma família feliz!

LETRA DA MÚSICA

Mar do Amor

Você se lembra de quando nos conhecemos
Nesse dia eu soube que você seria a minha querida
Eu quero te dizer o quanto eu te amo


Venha comigo, meu amor
Para o mar, o mar do amor
Eu quero te dizer o quanto eu te amo


Venha comigo, para o mar


Você se lembra de quando nos conhecemos
Nesse dia eu soube que você seria a minha querida
Eu quero te dizer o quanto eu te amo


Venha comigo, para o mar


Venha comigo, meu amor
Para o mar, o mar do amor
Eu quero te dizer o quanto eu te amo


Venha comigo, para o mar

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Intense Debate Comments