8 de jan de 2010

As vezes é preciso fugir da realidade



Hoje falei com duas pessoas no MSN que há tempos não conversava.
Porque toda vez que se inicia uma conversa, tem que se perguntar como anda o coração, sentimentos, amor etc?



(suprindo o nome)Fulana diz:
qto à Juliana, essa sem comentários né? passado? duvido, nunca será... vi uma postagem sua dizendo q todas as mulheres com quem vc esteve te lembravam dela...
 Diego Jr.:
nossa, ta desatualizada


Fulana diz:
 eu não acredito que a Juliana é passado, pq isso vc disse inúmeras vezes... ela sempre esteve entre nós e estará entre vc e qualquer outra mulher com quem vc se relacionar...  
Fulana diz:
desejo que vc seja muito feliz

Com a outra pessoa foi assim:

Marina diz:
*e ai tudo certo
Marina diz:
*mas vc ta namorando
         Diego Jr.         (bla bla bla :p) diz:
*to
Marina diz:
*mas é aquela?
         Diego Jr.         (bla bla bla :p) diz:
*:S
*q aquela?
Marina diz:
*aquela q vc estava namorando quando ainda conversamos
         Diego Jr.         (bla bla bla :p) diz:
*ah...a Juliana? nao estamos juntos
Marina diz:
*então gosta dela e ta namorando outra
         Diego Jr.         (bla bla bla :p) diz:
*brigamos
*e ja faz quase 1 ano
*ela nao quer me ver
*e eu nem a ela
*nao quero falar sobre isso
Marina diz:
*ok
Marina diz:
*q pena
         Diego Jr.         (bla bla bla :p) diz:
*eu nao vou me casar nessa vida Marina
*eu sei disso
Marina diz:
*mas eu sei q é assim mesmo
*pq não?
         Diego Jr.         (bla bla bla :p) diz:
*pq eu não vou enganar uma mulher me casando com ela e sabendo q meu coraçao é de outra
*prefiro curtir mesmo
Marina diz:
*para, as vezes a vida pode lhe trazer uma surpresa
*se for assim eu tbm não me caso nunca mais
         Diego Jr.         (bla bla bla :p) diz:
*ué
Marina diz:
*a gente sempre lembra da tal pessoa..eu sei como é
         Diego Jr.         (bla bla bla :p) diz:
*o amor da sua vida nao ta com vc?
Marina diz:
*não
         Diego Jr.         (bla bla bla :p) diz:
*eita
*é foda ne?
Marina diz:
*e nem vai ser meu
         Diego Jr.         (bla bla bla :p) diz:
*pois é somos dois entao...vai beber amiga que isso vc sabe fazer, e eu não sei beber vou é transar muito, pq isso eu sei fazer
Marina diz:
*hahahahha


Dialogo meu e da Nanda:

Eu: Nao entendo pq uma moça nova e linda como voce, se apaixona logo por mim. Sou torto, complicado, com um passado amoroso que me assombra a qualquer momento. Meu coraçao é cigano. E se tiver dona será apenas uma. E você, tão nova, o mundo que voce vai viver ainda pela frente...Eu ja vivi.

Ela: Mas com vc eu me sinto bem, vc me faz sentir viva. Eu adoro sua cia. E o que tem demais voce viver o mesmo mundo que ja viveu comigo de novo? será um prazer em voce me mostrar.

Eu: Mas voce ja pensou em algo distante entre a gente?

Ela: O que? de moramos em cidades diferentes?

Eu: nao! a idade. Quando eu tiver com 80 anos, vc estará com 59. Vai fazer o q? me ajudar a procurar minha bengala?

Ela: Do jeito que você é, eu aposto nos seus 80 anos vc estando com cara de 60. E aí sim, estaremos no mesmo visual, dois velhinhos modernos e bagunceiros.

Eu: Sei...

P.S: As vezes é preciso fugir da realidade. Ah sim, quando queremos sepultar um sentimento que sabemos ser "além túmulo e além outras vidas", só me resta continuar, viver e seguir um dia pós outro como uma pessoa sem CEREBELO (literalmente falando, pq estou quase sem ele mesmo). Correndo riscos, se apaixonando intensamente.

11 comentários:

Valéria disse...

Diego... vou te dizer uma coisa, sempre guardaremos intensamente aquele grande amor, principalmente aquele que por uma razão ou outra não pudemos viver. No começo isto atormenta, parece que nunca mais vamos ser capazes de amar da mesma forma... e lamento dizer é verdade, verdade que não amaremos mais da mesma forma... nosso amor será diferente!
A cada nova pessoa em nossa vida, o amor será de forma diferente, com intensidade diferente, mas a cada novo amor, estaremos mais preparados para viver este amor...
Até que encontramos alguém, que talvez não mecha tanto com nossa vida, não nos dê tanto tesão, tanta confusão, mas nos faz sentir diferente, especial! alguém que nos vê com os olhos da alma..então aquele grande amor,que jamais será esquecido, passa a ser uma lembrança boa, algo que nos impulsiona para frente!
E sem que você perceba este novo amor faz morada... se torna parte de nossa vida....
Viva meu amigo, viva intensamente, um dia de cada vez, um amor de cada vez, se entregue e ouça a voz do seu coração!
Você só vai encontrar este novo amor, quando acreditar que isto pode te acontecer e que para isto não precisa abrir mão da lembrança do seu grande amor...
Beijo enorme no seu coração!

Isabel Ruiz, disse...

Olá, Diego! Dizem que se conselho fosse bom a gente não dava, vendia, mas eu conheço pessoas que viveram uma vida inteira pensando num amor perdido e sempre com a sensação de estar perdendo mais, a cada dia. E sabe, estão mesmo. Perdendo a oportunidade de ser feliz, presos a um amor mal resolvido. Dizem, também, que o aquilo que não tem remédio, remediado está. O legal é olhar pra si mesmo, não como quem perdeu um amor, mas como quem viveu um amor e com ele aprendeu a se amar.
Beijo grande, amigo.
Bel

Lilian disse...

Olá querido amigo Dieguito,

Excelente texto do Jacques Yves Cousteau que publicou.
Reitero tudo o que a Valéria disse. Repetir para que, né?
Beijos, meu querido, e viva feliz, dia após dia.
Carinhoso e fraterno abraço,
Lilian

eu disse...

mas o que é o amor?
Camões reponde..

Amor é fogo que arde sem se ver,
é ferida que dói, e não se sente;
é um contentamento descontente,
é dor que desatina sem doer.

É um não querer mais que bem querer;
é um andar solitário entre a gente;
é nunca contentar-se de contente;
é um cuidar que ganha em se perder.

É querer estar preso por vontade;
é servir a quem vence, o vencedor;
é ter com quem nos mata, lealdade.

Mas como causar pode seu favor
nos corações humanos amizade,
se tão contrário a si é o mesmo Amor?

Eu digo, tenho duvidas ainda ..
o que é o amor?

amizade é amor?

então temos muitos amores?

perdão acredito que precisava desabafa , a paz

Kellen disse...

Assuntos do coração são os que mais interessam ao ser humano

Sds
Kellen

Leila disse...

Olá Diego, tenho um amigo que era assim como vc no tempo da faculdade. Ele só falava de amor, paixões, namoros, loucuras...e sempre estava com uma namorada diferente. Eu o encontrei depois de muitos anos, casado, mas infeliz. Estava até com uma alergia feia, que parecia que o casamento havia deixado ele doente. Eu fiquei perguntando, mas cadê aquele cara que só falava das paixões? Acho que meu amigo quis forçar a barra pra deixar de ser ele mesmo. A gente não deve fazer nada porque "tem que ser". Casar porque todo mundo casa, ficar casado porque todo mundo fica casado. A gente tem que tomar muito cuidado pra não deixar de ser o que realmente somos.

Rosianinha disse...

Diego, gosto muito de ler as coisas que você escreve.Seus textos me chamam muito a atenção, acho que porque eles me transmitem uma sensação boa de liberdade.
Bem, quanto a pergunta inicial... É básico, quando a conversa não inicia com a pergunta sobre como anda o coração, mais cedo ou mais tarde, no decorrer do diálogo, a tal questão acaba surgindo...nada mais é do que a pressão da sociedade que insiste em enquadrar todo mundo num determinado padrão, e ai de quem não se enquadra, não é verdade? E fugir dos padrões é um constante desafio.
Não que tenhamos que fugir da realidade, mas com certeza faz-se necessário buscar alternativas para se sobresair. Amar é uma experiência única, às vezes saimos mais poderosos, vitoriosos, outras vezes cambaleando, feridos ou machucados. Mas ainda assim vale a pena vivenciar este verbo em todos os modos e tempos, porque AMAR faz parte da vida.

Olha, outro dia encontrei este poema (prisões alternativas) na net e achei a sua cara,pensei até que fosse de sua autoria...rsrs, transcrevo-o a seguir, espero que goste!
Beijo grande
Rosi


Prisões Alternativas

Essas folhas que caem sempre no outono,
Tentam dividir mundos alternativos,
Prisões são feitas por você de modo imperativo,
Mas as escolhas doídas suas são prisões alternativas
Sugerindo um surto no espelho pela própria escravidão,
Teu rosto manchado intervém seu reflexo dos bicos de luz de sua casa; de sua vida

A seca crescente irritante e incômoda,
Que embola na garganta,
E não deixa sair uma simples palavra,
Que muitos gigantes precisam,
Não deixa sair por quaisquer alternativas.
O amor que entra avassalador,
Deixando todo pensamento com mais de um tema,
Que se constrói e se termina,
Que participa da sua e da minha vida,
E de tudo que me inspira,
Não cabe numa linha,
São coisas que até se interligam,
De maneira próxima e paradoxo,
Mas sempre continuam desligados,
Ao vento de outono,
E ao amor alternativo.

*Autoria: Renato Minair
*Fonte: http://www.overmundo.com.br/banco/prisoes-alternativas

Antonio Regly disse...

Dieguito, meu caro diretor hollydihitiano,

Está nas suas mãos decidir o que fazer. E também é fato que, se neste momento é o que consegue fazer - estar preso, ficar recordando, remoendo, sofrendo - faça isso. Contudo - e você conhece a Bíblia - "Tudo neste mundo tem o seu tempo;
cada coisa tem a sua ocasião.(...)Há tempo de ficar triste e tempo de se alegrar;" (Eclesiastes 3:1,4). Faça acontecer o "tempo de amar".


Antes de conhecer a minha Sonia, namorava outra Sonia. Eu era apaixonado demais por ela. Meus pais me diziam que se eu casasse com ela iria quebrar a cara. Depois de muitos conselhos eu disse para os meus pais que concordava com eles, que eles estavam certos, mas que eu não conseguia viver sem ela. Até tinha terminado o namoro mas não demorei muito e voltei. Pedi apenas que eles me ajudassem em oração. Eu estava certo que meus pais estavam certíssimos.

Não demorou muito e comecei a abrir os olhos. Poucos meses depois conheci a minha Sonia, totalmente diferente da outra Sonia. Tão diferente que parece comigo até na fisionomia. E já são 33 anos que nos conhecemos, namoramos e casamos.

Você é ainda jovem, pode encontrar aquela que vai selar o seu coração. Dê-se esta oportunidade.

Não sei se Sonia vai me ajudar a procurar a bengala, mas acho que com a gente vai ser igual a esse casal de velhinhos:

Um casal de velhinhos está deitado na cama. A esposa não está satisfeita com a distância que há entre eles. Ela lembra:

- Quando éramos jovens, você costumava segurar a minha mão na cama.

Ele hesita e, depois de um breve momento, estica o braço e segura a mão dela. Ela não se dá por satisfeita.

- Quando éramos jovens, você costumava ficar bem pertinho de mim.

Uma hesitação mais prolongada agora e, finalmente, resmungando um pouco, ele vira o corpo com dificuldade e se aconchega perto dela da melhor maneira possível. Ela ainda insatisfeita:

- Quando éramos jovens, você costumava morder minha orelha...

Ele dá um longo suspiro, joga a coberta de lado e sai da cama. Ela se sente ofendida e grita:

- Aonde você vai ?

- Buscar a dentadura, véia chata!

Um ótimo final de semana e que um cupido lhe acerte uma flecha no alvo, no coração, é claro!

Abraço do amigo,

Antonio

Cris Travassos disse...

Diego,

Amores além vida que são impossíveis, devem ser guardados com carinho, mas não devemos deixar de viver um novo amor. Temos o péssimo hábito de comparar o que vivemos com o que estamos vivendo e assim nos tornamos crueis com os novos parceiros. Terá que se dar uma chance, se você for pensar direitinho, verá que esta guardando na lembrança somente os momentos felizes. Como em todo relacionamento existem momentos que queremos esquecer, lembre-se deles. Isso facilita a libertação de nossos corações.

Beijocas

Geraldo disse...

Olá Diego,

Não vou te dizer palavras bonitas, isto já foi dito e bem dito aqui, então seguindo a lógica dieguiana, vamos ao que o imortal poetinha Vinicius de Moraes dizia: (embora não referende e nem aprove, mas para ti, cai como uma luva) Que seja eterno enquanto dure...

Abraço

Claudine Ribeiro G. Netto disse...

Olá amigo Diego, nunca amei intensamente como você, já fui pedida em casamento várias vezes e não aceitei, as causas são por que tenho um filho e por que não encontrei aquele que mexesse realmente comigo, ás vezes achava que amava e ficava como você, pensando e não vivendo, hoje não tenho namorado por opção e gosto de viver assim já que não encontrei minha alma gêmea. Sou feliz do jeito que sou.
Viva do seu jeito, a vida é assim mesmo. Talvez ela não seja sua alma gêmea, pois se fosse estaria com você. Ninguem é perfeito, temos nossos defeitos.
Ser feliz é o que importa.

Abração.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Intense Debate Comments